Medo de não conseguir amar meu bebê

Por Luzia Winandy

Alguns casais pretendentes a pais muitas vezes sentem muito medo de não conseguir amar o bebê. Mesmo depois que ele nasce, eles tem essa sensação de que o amor não parece assim tão grandioso, e sentem medo de estar rejeitando seu pequenino.

É natural que no inicio do nascimento do bebê, muitas coisas mudam na vida de um casal. Aquela tranqüilidade, noites de sono dormidas intensamente, saídas noturnas sem preocupação com horários, programas com amigos ate altas horas, baladas, etc.etc… Vai naturalmente ocorrer uma transformação. Porque agora existe um bebê que precisa de cuidados e atenção e também de horários. Ou seja, o bebê acaba sendo um impedimento para muitas coisas que são prazerosas, e agora praticamente tudo gira em torno dele. É natural que todas esta aceitação vai ocorrendo pouco a pouco. Precisa existir um tempo de assimilação dessa nova rotina. Como qualquer mudança na vida, ter um bebê também requer que se acostume com a rotina, para que haja uma acomodação.

E isto não vem de imediato. Vem crescendo pouco a pouco. Até porque um bebê recém nascido ocupa muito o tempo da mãe e muitas vezes isto a deixa estressada. O que também e normal. Por isso que sempre dizemos que e bom ter alguém para ajudar nos cuidados com o bebê, como a mãe, sogra, tia, para dividir um pouco essa tarefa inicial.

Os pais ficam na maior expectativa de receber um bebê, e quando se deparam com todo aquele trabalho, e recebendo pouco do bebê como resposta, tem algumas vezes sentimentos de decepção. O bebê ainda não brinca, e se sorri é por reflexo. Mas à medida que o bebê vai crescendo, vai nos dando respostas cada vez mais gratificantes, correspondendo aos nossos afagos, sorrindo e mostrando sinais de alegria e nossos sentimentos de amor vão assim aumentando gradualmente.

O amor vai crescendo junto com tudo isso, não vem pronto. À medida que somos gratificados com o bebê, mais gratificação passa para ele, e o amor vai aumentando e se acomodando a novos costumes da família. Então esse pequenino se torna tão importante que tudo se torna sem graça sem a presença dele.

Mas para isto precisou de um tempo, não fique esperando esse amor incondicional imediato. Ele vai aumentando gradativamente ele não nasce tão grande.

Luzia Winandy

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags