Namoro na adolescência(entrevista)

Por Luzia Winandy Entrevista para a Revista Uma Girl

O namoro é uma etapa importante e necessária no desenvolvimento do ser humano e, no entanto, na adolescência, torna-se um dos grandes conflitos e divergências entre pais e filhos.

É importante os jovens adolescentes entenderem o que eles querem mesmo dizer para os pais, no “ficar”ou no namorar: – o que o jovem quer mesmo numa relaçao amorosa é trocar carinhos, se dar conta que pode gostar também de outras pessoas e nao só dos pais e sentir que faz parte de um grupo. Ele quer mostrar que já está saindo da fase infantil e se encontra em busca de um lugar diferente de tudo que ele já viveu até aquele momento. É como se ele estivesse dizendo para os pais, “vejam bem como eu não sou mais cri

ança, eu mereço e preciso que vocês mudem a conversa comigo. Passem a me ver como alguém que está caminhando para a vida adulta, que eu ainda não sei como é, mas vou ter de começar a experimentar”.

Se os pais conseguem decifrar, nas entrelinhas, os reais pedidos de seus filhos, tudo fica muito mais harmonioso entre eles. O filho não quer mais aquele papo onde os pais insistem muitas vezes em deixá-los à deriva de tudo, sem ser consultado, como por exemplo os pais tomarem as decisões relativas a vida do filho, proibindo qualquer relacionamento amoroso que ele forme. O filho quer ser incluído nesta tomada de decisões. Assim, se os pais querem decidir se está correto ou não a atitude do filho, nada mais justo trocar idéias com ele. Ouvir o que o filho tem a dizer, quais as expectativas dele, para assim iniciar um diálogo onde o filho possa se sentir incluído, respeitado e os pais marcarem sua presença, intervindo de maneira muito mais saudável, educando, orientando os principais cuidados a serem tomados.

A falta de compreensão dos pais, proibindo o namoro, causa um enorme sofrimento no jovem adolescente. Eles na verdade querem ser aceitos pelos pais, mas, no entanto, se percebem sozinhos nesta fase de transição, se sentindo incompreendidos por aqueles que eles mais amam durante toda a vida deles. O que o jovem consegue demonstrar é uma rebeldia, ao invés de um sofrimento que sentem pelo desamparo pelos pais. Passam muitas vezes a sair escondido dos pais. Porém, por detras desta rebeldia tem um jovem frágil numa busca incessante desta nova identidade, porque a identidade infantil já nao dá mais conta. Por isto é muito importante os pais estarem acompanhando com muito diálogo, respeito e confiança estas novas relações amorosas dos filhos. De igual importancia, os filhos também precisam entender as maiores preocupações de seus pais nesta fase de transição do jovem, que são na verdade um grande temor que o namoro venha interferir no desempenho escolar do filho e também que tenha um inicio precoce na vida sexual, vindo a prejudicar o futuro de seu filho.

A melhor forma dos filhos lidarem com os pais, se houver proibiçao, é o diálogo. Nada melhor do que trocar idéias com os pais. Explicar os seus sentimentos e entender o porquê da proibição do namoro são atitudes positivas para o adolescente tomar. Ao mesmo tempo mostrando para os pais como é importante este momento para ele e de como ele, na verdade, precisa do apoio dos pais mais do que nunca. Com isto ele vai podendo transmitir mais confiança para os pais, que estão tao preocupados com o futuro do filho. É buscando o diálogo com os pais que vai permitir uma maior aproximação e receber a confiança deles.

É muito importante o jovem lembrar que namorar nao implica “grudar” no outro e fazer do relacionamento sua única fonte de alegria e prazer. Precisam controlar o tempo de estarem juntos no namoro, lembrando que nesta idade tem que pensar nos estudos, na prática esportiva, sair com os amigos, participar das atividades da familia e principalmente não perder de vista seus sonhos pessoais.

Por: Luzia Winandy Direitos reservados: httpp://luzia.psc.br/

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags