Fuja da Rotina (Entrevista)

Por: Luzia Winandy Entrevista para o portal

http://abiliodiniz.uol.com.br/qualidade-de-vida/fuja-da-rotina.htm

-O hobby realmente alivia o stress? O hobby em muito contribui para aliviar as tensões internas de uma pessoa. É quando o indivíduo “pode ser ele mesmo”, livre de criticas e avaliações, esquecer os conflitos do dia a dia e direcionar sua energia para aquele objeto de escolha que lhe dá sensações de prazer e alegria. Ele alivia o estresse porque é normalmente algo que não existe uma cobrança, não tem uma regra implícita e descansa a pessoa no momento que ela está envolvida com a atividade escolhida.

-É aconselhável que qualquer pessoa tenha um hobby? Todas as pessoas deveriam ter um hobby. É como um momento lúdico da criança. Ao brincar, a criança se comunica de forma não verbal extravasando ali, de modo inconsciente, suas angústias e medos. Pode projetar nas brincadeiras seus principais conflitos e temores obtendo assim alivio de suas tensões. A mesma coisa o adulto, ele precisa também usar de “brincadeiras” para aliviar suas angústias, nem sempre conscientes. Com tais atividades lúdicas, a mente fica livre de preocupações e nos revigora para o dia a dia. Tendemos a deixar de “brincar” quando crescemos e acreditarmos que precisamos ser constantemente produtivos.

-Que tipo de hobby é aconselhado? Tem algumas dicas? O melhor hobby é aquela atividade que combina com o indivíduo, que ele sinta prazer de fazer e que carregue um tom lúdico. Pode ser qualquer atividade, seja a desportiva ou a artística como, pintar, bordar, escrever, cuidar de um jardim, colecionar, ouvir música, dançar, cantar etc. Para alguns precisa ser alguma atividade mais radical, que libere mais adrenalina para proporcionar uma sensação de prazer e satisfação. Para outros há uma necessidade de buscar fazer o melhor de si na atividade e se empenhar ao máximo para a sua realização. Não existe um critério para se viver um hobby, o importante é que a atividade escolhida seja vivida de modo mais tranqüilo possível, e mesmo esse empenho não seja vivido como cobrança, mas como prazer na realização.

Até onde um hobby pode ajudar no alívio do stress? Ele ajuda aliviar o estresse se proporcionar de fato prazer e não for executado com cobrança. Muitas vezes as pessoas se vêem em conflito com o hobby por acabar tomando muito de seu tempo livre e não ter tempo para se dedicar aos familiares, por exemplo, gerando assim um novo tipo de conflito. É importante a pessoa saber dosar esse tempo envolvido na atividade de seu hobby ou então poder compartilhar esta atividade com os seus familiares. Quando isto acontece, acaba aproximando mais no relacionamento, e o hobby tem assim dupla função, além de promover um relaxamento, ele contribui para uma melhor interação e socialização.

-Quando o hobby se torna uma obsessão e deixa de acalmar e começa a atrapalhar? Pode acontecer de a pessoa perder a medida do tempo despendido para execução deste hobby e interferir na sua rotina, tanto no trabalho como no relacionamento familiar. Ou então, conduzir um hobby com a mesma exigência de sua vida profissional, com cobranças internas, buscando a perfeição e com sofrimento para sua realização. Nestes casos é uma atividade extra, mas com um efeito estressor negativo, onde a energia depositada nestas atividades também passou a ser feita com cobranças, tal como as atividades rotineiras. Assim sendo, não ocorrem alivio de estresse, pelo contrário, acaba sendo prejudicial por acabar sendo vivido como mais um problema a ser solucionado. Não está havendo aí um relaxamento e desligamento de suas tensões. No entanto, somente a pessoa pode avaliar isto, não tem um parâmetro para esta medida; cabe a cada um se questionar o quanto o envolvimento na sua atividade escolhida como hobby está sendo satisfatória para si e está de fato aliviando suas tensões emocionais.

Luzia Winandy

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags

SAIBA MAIS:    ANSIEDADE   •   MEDO/FOBIA   •   TRISTEZA/DEPRESSÃO   •   TIMIDEZ/FOBIA SOCIAL   •   PÂNICO   •   HIPERIDROSE  •   HIPOCONDRIA   •   TOC