Como Entender o Que Meu Filho Diz Com Seu Choro

Por Luzia Winandy

“Nunca cuidei de um bebê, não faço idéia como lidar com ele, sou completamente sem experiência, acho que não vou saber entender o choro dele.”

São preocupações muito comuns em pais de primeira viagem. Com as famílias cada vez mais “enxutas”, com poucos ou nenhum irmão, cada vez se tem menos contato com irmãos menores, crianças pequenas e as pessoas sentem uma sensação de impotência ao dar cuidados para um bebê. Um verdadeiro pavor de que, cuidar de um bebê necessita ter experiência anterior, e que não saberá atender aos pedidos dele.

Não é esse o caso de maternidade e paternidade. Apesar de não se ter experiência anterior, carregamos dentro de nós, principalmente as mães, uma capacidade intuitiva que não se aprende em nenhum lugar. Vamos escutar o choro do bebê levantando hipóteses: se acharmos que é porque tem fome, então lhe daremos de mamar; daremos chazinho se acharmos que tem sede; o trocaremos se estiver molhado e, se o choro persiste, pegaremos no colo e deixamo-lo sentir o calor de um afeto.

Não podemos nos esquecer que o bebê saiu de um aconchego materno, com toda a proteção humana, e que o calor dos braços dão uma proteção equivalente. Pegue seu bebê quantas vezes precisar. Não se preocupe se dizem que vai ficar mimado. O bebê muitas vezes precisa ficar um pouco mimado para depois poder se soltar dos braços maternos.

À medida que ele vai crescendo, por volta dos quatro meses, ao chorar, ele já pode esperar um pouco mais até receber os cuidados da mãe. O choro também faz bem para o bebê, alem de ajudá-lo a desenvolver os pulmões, o ajuda a perceber que se ele chora, ele vai receber os cuidados que precisa. Vai adquirindo segurança nesta construção. Mas principalmente nos primeiros três meses iniciais é muito importante acolhê-lo quantas vezes forem necessárias.

Luzia Winandy

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags